Desde ‘Post Scriptum’ (2000), segundo álbum de Cristina Branco, que João Paulo Esteves da Silva e a cantora vêm reunindo vivências únicas ao vivo, vistas e ouvidas por públicos distantes, mas nunca registadas. Surgiu assim a génese de Amoras numa Tarde de Outono’, novo álbum editado em 2022 e que procura registar, como um documento fotográfico, o trabalho que o duo vem tecendo em palco nos últimos 20 anos. O novo trabalho começa agora finalmente a ser apresentado ao vivo na sua formação original – o recital de piano e voz – procurando assim recriar o seu ambiente simultaneamente intimista e caleidoscópico, algures entre o fado e a música tradicional.

Cristina Branco, o guitarrista Bernardo Couto e o ensemble francês Des Équilibres, juntaram esforços para ‘Fado em Movimento’, ciclo de quatro concertos idealizado por este Ensemble, que consiste numa exploração do universo do fado em diálogo com outros géneros musicais, com composições inéditas de Florentine MulsantFátima Fonte, e textos de Gonçalo M. Tavares. O espetáculo contou com duas apresentações esgotadas na Casa da Música (Porto) e ainda em Ferme du Buisson (França) e Bologne-Sur-Mer (França). Além dos concertos, o programa integrou também uma residência artística com todos os artistas na Casa da Música.

‘Mais que fado’ é o espetáculo único que junta a elegância interpretativa da voz de Cristina Branco à inspiração e destreza do pianista Mário Laginha e à grandeza da Orquestra de Jazz de Espinho, aqui dirigida por Daniel Dias e Paulo Perfeito.

O espetáculo já contou com várias apresentações, de onde se destacam as duas datas no Auditório de Espinho, em Dezembro de 2021, e o concerto na Casa da Cultura de Ílhavo, em Fevereiro de 2022.

Numa celebração da música como forma de comunicação, a CISMO (Cister Music Orchestra) propõe uma viagem musical sem precedentes.

Numa era de múltiplas identidades sonoras frequentemente em sobreposição, a CISMO propõe um exercício de liberdade criativa em justaposição musical. Quatro compositores são desafiados a reimaginar o repertório de Cristina Branco, sem o fazer perder a sua linguagem e identidade musical e sem constituírem meros rearranjos. As novas composições devem ter como objectivo a renovação dos nossos sentidos relativamente à canção.

O espectáculo foi apresentado pela primeira vez em Junho de 2022, no histórico Mosteiro de Alcobaça.

Cristina Branco criou durante a carreira um caminho muito próprio. O fado é um dos pontos de partida que a levou a parcerias com poetas, autores e compositores. A expansão internacional deste talento resultou numa assiduidade entre aeroportos, estações de comboio, viagens de automóvel intermináveis, diferenças de temperatura constantes, camarins, hotéis e horas de espera.

O efeito mais evidente destas particularidades da estrada aconteceu com o seu instrumento: a voz. Num regresso a Portugal, faz o check-up que mudou a sua vida: «A água mineral é, na sua grande maioria, ácida, (…) e contribui para essa sensação de ardor na garganta!». Foi o clique da mudança. Após pesquisar, iniciou um regime alcalino muito «seu», sem pretensões, melhorando a sua alimentação e a da família.

Daí foi um passo para levar os novos hábitos para a estrada junto dos seus parceiros de sempre (músicos e técnicos). De forma casual surge a ideia deste RoadCook, algo muito pessoal e absolutamente sem qualquer vínculo clínico. Um conjunto de receitas práticas, rápidas e saudáveis a preparar em qualquer lugar, lá onde a estrada nos levar. Uma partilha especial e inesperada de Cristina Branco.

Newsletter